Photos and videos from all countries

Photos and videos for #7marte

EU, TONYA⠀ ⭐⭐⠀ Direção: Craig Gillespie⠀ Gênero: Drama/Comédia⠀ Ano: 2017⠀ País de origem: EUA⠀ Título original: I, Tonya⠀ ⠀ Sinopse: História real da vida patinadora no gelo Tonya Harding (interpretada por Margot Robbie) desde a infância, passando pela relação complicada com a mãe (Allison Janney), o relacionamento abusivo com o primeiro marido (Sebastian Stan), culminando na polêmica da década de 1990, quando foi acusada de agredir uma rival para tirá-la da competição.⠀ ⠀ Miniresenha: Tratando o caso ocorrido em 1994 como um fato de conhecimento público, o filme negligencia alguns atores principais dessa polêmica, como a vítima, enquanto da importância desnecessária para o personagem de Bobby Cannavale, que só está ali para reafirmar o óbvio. O diretor Craig Gillespie opta por um estilo metalinguístico (com os personagens dando os seus depoimentos sobre o ocorrido e falando diretamente para a câmera) e um ritmo frenético, que por sua vez pode ser relacionado com a velocidade do esporte desempenhado pela protagonista. Porém, enquanto Gillespie demonstra criatividade e precisão nas cenas no gelo, no resto esse mesmo ritmo e esse mesmo estilo soam como uma tentativa de chamar atenção para si, afastando o espectador daquela história - ao contrário de traze-lo para intimidade, como o título sugere. Margot Robbie e Allison Janney são um espetáculo à parte, mas é uma pena que o resto do show não mantenha a qualidade.⠀ ⠀ #Cinema #Filme #Comédia #Drama #Biografia #EuTonya #ITonya #MargotRobbie #AllisonJanney #CraigGillespie #Oscar #Oscar2018 #7Marte #EuTonya7M

38 0 Feb 19, 2018

LADY BIRD: A HORA DE VOAR ⭐⭐⭐⭐ Direção: Greta Gerwig Gênero: Comédia/Drama Ano: 2017 País: EUA Título original: Lady Bird Sinopse: Uma história de amadurecimento centrada na relação problemática entre uma garota de 17 anos e sua mãe. Miniresenha: Gosto muito do trabalho de Greta Gerwig como atriz, pois ela consegue imprimir a sua personalidade única em todos os seus papéis. "Lady Bird: A Hora de Voar" é a primeira vez que ela desempenha sozinha a função de diretora e, como era de se esperar, o filme tem a cara dela. Os anseios e as atitudes da protagonista Christine "Lady Bird" McPherson reproduzem muitos dos anseios e atitudes de outras personagens interpretadas por Gerwig. Ainda assim, a britânica Saoirse Ronan é hábil ao trazer uma personalidade própria à personagem, em vez de se limitar a fazer uma cópia. Sua Christine, ou melhor, Lady Bird, é uma garota inteligente e espontânea, que admira sua mãe, ao mesmo tempo em que não consegue se relacionar com ela. Do outro lado, a veterana Laurie Metcalf se destaca ao compor a personagem da mãe como uma mulher que sofre por não saber se comunicar com a filha, e que esconde seus sentimentos de tal forma que isso chega a machuca-la. Um filme divertido, emocionante e cheio de personalidade, assim como a sua diretora. #Cinema #Oscar #Oscar2018 #LadyBird #AHoraDeVoar #GretaGerwig #SaoirseRonan #LaurieMetcalf #Drama #Comédia #7Marte #LadyBird7M

49 0 Feb 16, 2018

THE SIGNAL ⭐⭐⭐ Direção: David Bruckner, Dan Bush, Jacob Gentry. Gênero: Terror Ano: 2007 País de origem: EUA Sinopse: Um filme de terror dividido em três partes, mostrando de três perspectivas diferentes os efeitos causados por uma estranha transmissão que transforma as pessoas em assassinos. Miniresenha: A proposta deste "The Signal" é muito simples: contar uma história usando três perspectivas diferentes, comandadas por três diretores diferentes e compostas por diferentes subgêneros do terror (como o slasher, o terrir e o terror apocalíptico). No papel isso funciona muito bem. Mas na tela, o filme sofre do mesmo mal que assombra a maioria das obras cinematográficas de antologias: alguns episódios são inferiores aos outros. Neste caso, a segunda história do filme não só é a mais fraca, como ainda soa deslocada das demais, parecendo fazer a trama estacionar (ao passo que as outras histórias procuram levar a trama adiante). Ela só não estraga o filme como um todo porque as outras são muito boas, especialmente a primeira. #Cinema #Terror #Horror #Filme #FilmesDeTerror #TheSignal #7Marte #TheSignal7M

27 0 Feb 13, 2018

Mais um pra minha lista de presentes. #Funko #FreedyKrueger #AHoraDoPesadelo #ANightmareOnElmStreet #Terror #Horror Filme #Cinema #FilmesDeTerror #7Marte

84 3 Feb 10, 2018

THE CLOVERFIELD PARADOX ⭐⭐⭐ Direção: Julius Onah Gênero: Ficção Científica Ano: 2018 País: EUA Sinopse: Uma equipe de cientistas e astronautas à bordo de uma estação espacial realiza um experimento com o intuito de gerar energia suficiente para alimentar todo o planeta. O experimento, porém, dá errado, e a equipe passa a presenciar estranhos acontecimentos, ao passo que a população da Terra sofre as consequências dessa falha. Miniresenha: Contanto com um roteiro extremamente problemático, repleto de incongruências e equívocos narrativos, "The Cloverfield Paradox" só funciona se você abraçar o absurdo daquela situação, que envolve um braço com vida própria, personagens que surgem dentro das paredes e um experimento que causou o desaparecimento da Terra. É tudo tão bizarro que é impossível levar aquilo à sério. O diretor Julius Onah ("The Girl Is in Trouble") imprime a sua própria marca ao investir em um tom que se equilibra as cenas de maior tensão com toques de humor (além de um pouco de humor involuntário, é verdade). A mistura pode não agradar a todos, mas eu me diverti. Disponível na Netflix #Cinema #Filme #FicçãoCientífica #Coverfield #TheCloverfieldParadox #Netflix #JuliusOnah #JJAbrams #7Marte

53 4 Feb 7, 2018

SUBURBICON: BEM-VINDOS AO PARAÍSO ⭐⭐ Direção: George Clooney Gênero: Drama/Triller/Comédia Ano: 2017 País: EUA Título original: Suburbicon Sinopse: A aparente tranquilidade cidade suburbana dos Estados Unidos da década de 1950 é abalada por uma invasão doméstica seguida de morte. A partir disso, alguns segredos daquela comunidade começam a vir à tona. Miniresenha: Não é nenhuma surpresa que o roteiro de "Suburbicon: Bem-Vindos ao Paraíso" tenha sido co-escrito pelos irmãos Coen. Afinal, existem muitas semelhanças entre esse filme e a obra dos cineastas, especialmente em filmes como "Fargo" e "Queime Depois de Ler". O problema é que o diretor George Clooney não tem o talento que os irmãos têm atrás das câmeras. Clooney entrega uma execução acelerada, que não permite ao espectador se envolver com os personagens, ao mesmo tempo em que não dá conta das das sutilezas e das nuances do texto - como a relação com a família que se mudou para a casa ao lado, algo que deveria ser uma crítica social, mas que de tão exagerada acaba não cumprindo esse papel. Ora pendendo para o drama, ora para a comédia de erros, e ora para o thriller de ação, "Suburbicon" não encontra a sua voz e não acerta no tom. O que é uma pena, porque poderia ser um grande filme. #Cinema #Filme #Thriller #Suburbicon #BemVindosAoParaíso #MattDamon #JulianneMoore #OscarIsaac #GeorgeClooney #IrmãosCoen #7Marte

46 0 Feb 5, 2018

VENDE-SE ESTA CASA ⭐⭐ Direção: Matt Angel e Suzanne Coote Gênero: Suspense Ano: 2017 País: EUA Título original: The Open House Sinopse: Depois de uma tragédia, uma mãe e o filho adolescente vão viver nas montanhas numa casa desocupada de parentes. Lá, forças aterrorizantes e misteriosas os aguardam. Miniresenha: "Vende-se Esta Casa" é um suspense que atira para todos os lados durante o seu desenvolvimento, e que acaba por escolher não só a conclusão mais óbvia (o que, por si só não seria um problema), mas também uma conclusão que invalida muito do que foi mostrado até então. Fazendo aqui a sua estreia atrás das câmeras, os diretores/roteiristas Matt Angel e Suzanne Coote querem colocar todas as suas ideias em uma única história, por mais que estas não caibam ali. Nisso, a narrativa passa a apresentar elementos sobrenaturais, ao mesmo tempo em que sugere que a ameaça enfrentada por eles é real e palpável. E no meio dessa indecisão, alguns personagens que ganham destaque - como a vizinha - logo são descartados. Analisadas separadamente, algumas cenas até funcionam bem - como aquelas envolvendo o porão da casa -, mas dentro da narrativa, elas são dispersas e sem sentido. Disponível na Netflix. #Cinema #Terror #Horror #Suspense #MattAngel #SuzanneCoote #TheOpenHouse #VendeSeEstaCasa #Netflix #7Marte

96 20 Feb 1, 2018

A BELA E A FERA ⭐⭐ Direção: Bill Condon Gênero: Fantasia Ano: 2017 País: EUA Título original: Beauty and the Beast Sinopse: Bela (Emma Watson) é uma jovem que se torna prisioneira da Fera - um príncipe arrogante condenado a viver sob a aparência de um monstro - em troca da liberdade do seu pai Maurice. Apesar dos seus medos, ela faz amizade com o grupo encantado do castelo e passa a nutrir sentimentos pela criatura. Miniresenha: Realizado há mais de 25 anos, o desenho da Disney é uma das animações mais importantes de todos os tempos e foi a primeira a concorrer ao Oscar de Melhor Filme. Essa versão live-action de "A Bela e a Fera", porém, parece não ter percebido a passagem do tempo. Excessivamente referente ao original - o que justifica o seu maniqueísmo -, o longa até tenta fazer piada com a situação (em especial, no excelente personagem de LeFou), mas acaba se levando muito a sério. Assim como fez nos filmes de "Crepúsculo", o diretor Bill Condon abraça a bizarrice da situação, resultando em algo que, ao menos para mim, soou estranho - ainda que muita gente tenha gostado. Não sei se é preciosismo da minha parte, mas parece que a ideia de romance entre a jovem e a fera funciona melhor na animação (em que todos os personagens são desenhados, e com isso, são mais próximos um do outro) do que no live-action. Ainda assim, o uso dos efeitos especiais permite a criação de um visual impecável para o filme, auxiliado por uma direção de arte caprichada, que abusa de cores fortes e cenários grandiosos, e por grandes sequências musicais. Mas, ao mesmo tempo, não é nada que eu já não tenha visto de maneira mais eficaz na animação. #Cinema #Filme #Fantasia #ABelaEaFera #EmmaWatson #BillCondon #Disney #7Marte

53 0 Jan 31, 2018

SOBRENATURAL: A ÚLTIMA CHAVE Nota: ⭐⭐⭐ Direção: Adam Robitel Gênero: Terror Ano: 2017 País: EUA Título original: Insidious: The Last Key Sinopse: A médium Elise Rainier (Lin Shaye) é chamada para resolver o caso de uma assombração no Novo México, localizada justamente na casa em que ela passou a infância. Miniresenha: Este quarto capítulo da franquia "Sobrenatural" apresenta diversas similaridades com os anteriores, como a concepção sombria do ambiente do Além e uma trama que flerta com questões temporais. Suas principais qualidades, porém, não residem nas semelhanças, mas nas diferenças. A contratação do diretor Adam Robitel (de "A Possessão de Deborah Logan") trouxe sangue novo à franquia. O cineasta sabe explorar muito bem o ambiente e criar boas sequências de suspense usando sons diegéticos, como o ruído de um microfone ou o barulho do maquinário que cerca a casa onde se passa a história. Passada após os eventos do terceiro filme, mas antes do primeiro, a trama também apresenta algumas novidades, como ao focar-se mais nos atos cometidos pelas pessoas do que pelos demônios. Um bom respiro para a franquia que tinha perdido um pouco de força com o capítulo anterior. Que venham mais! #Cinema #Filme #Terror #Horror #FilmesDeTerror #7Marte #Insidious #TheLastKey #Sobrenatural #AÚltimaChave #AdamRobitel #LinShaye

106 2 Jan 27, 2018

SOBRENATURAL: A ORIGEM Nota: ⭐⭐⭐ Direção: Leigh Whannell Gênero: Terror Ano: 2015 País: EUA Título original: Insidious: Chapter 3 Sinopse: Passada antes dos eventos dos filmes anteriores, a trama acompanha a jovem Quinn Brenner, que pede a ajuda da médium Elise para contatar a sua mãe morta, mas é logo avisada sobre os perigos de mexer com o mundo do além. Depois de sofrer um acidente e ficar imobilizada em casa, Quinn percebe que estranhos fenômenos paranormais acontecem à sua volta, o que é visto com inicial descrença pelo seu pai. A princípio ela pensa que é sua mãe tentando retornar o seu contato, mas logo se dá conta de que trata-se de uma entidade poderosa e muito perigosa. Miniresenha: Fazendo aqui a sua estreia na direção, o roteirista Leigh Whannell opta por criar uma narrativa que em vez de equilibrar-se entre o suspense e o susto - conforme havia sido feito até então -, prioriza o segundo em detrimento do primeiro, o que acaba prejudicando o desenvolvimento dos personagens e o nosso envolvimento com eles. Um diretor mais experiente saberia explorar melhor as nuances do roteiro, como o fato de a ameaça sobrenatural ser a imagem de uma pessoa doente, e relacionar isso com o trauma da protagonista por conta da morte da mãe (vítima de câncer) sem que isso cair na pieguice, como acontece aqui. Ainda que tenha lá seus bons momentos (a cena do demônio caminhando pelo quarto é incrível), "Sobrenatural: A Origem" está longe de ser uma obra louvável como foi o primeiro. #Cinema #Terror #Horror #Filme #FilmesDeTerror #Sobrenatural #SobrenaturalAOrigem #Insidious #LeighWhannell #7Marte

189 1 Jan 26, 2018

SOBRENATURAL (2010) Nota: ⭐⭐⭐⭐ Diração: James Wan Gênero: Terror País: EUA Título original: Insidious Sinopse: Uma família se muda para um nova casa e começa a ser ameaçada por estranhas presenças sobrenaturais que parecem cercar um dos filhos do casal, um garotinho que se encontra em coma sem nenhum motivo aparente. Miniresenha: Já disse isso outras vezes, e volto a repetir: sou fã do cineasta James Wan. Gosto particularmente da maneira como seus filmes de terror sempre dialogam com os clássicos do gênero. Wan não é o tipo de cineasta que tenta reinventar o gênero. Em vez disso, ele homenageia os clássicos de tal forma que seus filmes quase adquirem um aspecto metalinguístico. Aqui, ele joga com o subgênero dos filmes de casas mal-assombradas, e faz isso de maneira extremamente eficaz. Subvertendo alguns clichês e abraçando outros, Wan e o roteirista Leigh Whannell criam uma narrativa intrigante, que encontra equilíbrio entre a construção do suspense e a catarse do susto. A revisão me permitiu notar alguns detalhes da construção das cenas que haviam me passado despercebidos antes, como o fato de que Wan dá certas pistas ao espectador acerca dos sustos que virão depois e também como ele brinca com a expectativa do público. "Sobrenatural" é um filme eficiente, e muito bem realizado. Mas é, acima de tudo, um filme assustador. E quem é fã de terror sabe o quanto isso é raro. #Cinema #Terror #Horror #FilmeDeTerror #Sobrenatural #Insidious #JamesWan #LeighWhannell #7Marte

140 5 Jan 24, 2018

VERÓNICA (2017) Nota: ⭐⭐⭐⭐ Direção: Paco Plaza Gênero: Terror País: Espanha Título original: Verónica Sinopse: Verónica é uma jovem de 15 anos que assumiu a responsabilidade de cuidar dos seus irmãos mais novos depois que seu pai morreu. Um dia, durante um eclipse, ela usa uma tábua de Ouija para tentar se comunicar com o pai, mas acaba abrindo uma porta para outros seres sobrenaturais. Miniresenha: Sempre digo que o bom terror é aquele que traz consigo um subtexto político/social. Este "Verónica", dirigido por Paco Plaza (um dos diretores de "[REC]"), faz isso, e muito bem. Aqui, o sobrenatural é subtexto para o crescimento da protagonista, a passagem da juventude para a vida adulta. Como sua mãe está sempre trabalhando, Verónica assumiu várias responsabilidades que não condizem com uma jovem de 15 anos. E à medida que a ameaça sobrenatural aumenta, suas responsabilidades também aumentam. Ela deixa de frequentar festas com as pessoas da sua idade porque tem compromissos e responsabilidades de uma pessoa adulta. Tais sacrifícios se agravam cada vez mais, culminando num clímax impactante. Mas além do subtexto, Plaza também é bem sucedido na construção das suas cenas, criando sequências tensas e assustadoras (como aquela em que o espírito aparece no corredor, e depois refletido na TV, sem que a protagonista o veja). E apesar de eu não gostar de algumas das suas decisões visuais no terceiro ato (como quando a personagem aparece caminhando em cima das folhas da revista, por exemplo), isso não diminui a qualidade da obra de Plaza. "Verônica" é um ótimo filme, e como todo bom terror, tem muito mais a dizer do que aparenta. #Cinema #Filme #Terror #7Marte #Horror #FilmesDeTerror #Verónica #PacoPlaza

48 0 Jan 23, 2018

A POSSESSÃO DE DEBORAH LOGAN (2014) Nota: ⭐⭐⭐ Direção: Adam Robitel Gênero: Terror País: EUA Título original: The Taking of Deborah Logan Sinopse: Uma doutoranda faz um estudo sobre o mal de Alzheimer e, juntamente com uma equipe de filmagem, acompanha a rotina de uma mulher da sofre desse mal. Mas à medida que o tempo passa, a mulher começa a apresentar um comportamento estranho que pode não ter relação com a doença. Miniresenha: Devido às limitações do formato, é comum que os filmes de terror found footage não encontrem espaço para desenvolver bem os seus personagens. Assim, é uma grata surpresa que este "A Possessão de Deborah Logan" consiga fazer justamente o oposto. Apresentando-se inicialmente como um drama pesado sobre o Mal de Alzheimer, o filme destaca os terríveis efeitos da doença e a dificuldade da pessoa diagnosticada de manter uma rotina normal e realizar as atividades do dia-a-dia. Além disso, o longa faz um bom uso de metáforas visuais e narrativas que corroboram com essa proposta. Enquanto a cena em que os enfeites da casa precisam ser guardados para a segurança da paciente simboliza as lembranças que aos poucos vão se esvaindo da pessoa doente a própria temática sobrenatural encontra reflexo na tese da protagonista, que defende que a doença afeta não apenas o enfermo, mas também aqueles que estão ao seu redor. Mas se a parte dramática da obra funciona muito bem, a parte de terror falha por um motivo muito simples: o filme não causa medo (ao menos, não causou em mim). E não é por falta de tentativas, já que o diretor Adam Robitel sabe brincar com a expectativa do público. Mas, com exceção de um certo momento durante o clímax, o longa não é bem sucedido nas suas tentativas de dar sustos ou causar tensão. O cineasta parece ter se ocupado tanto em resolver o problema da falta de desenvolvimento dos personagens que esqueceu uma característica básica do gênero: o medo. Ainda assim, é um esforço válido, diferente da maioria dos found footages que se vê por aí. #Cinema #Terror #Filmes #FilmesDeTerror #Horror #FoundFootage #APossessãoDeDeborahLogan #TheTakingOfDeborahLogan #AdamRobitel #7Marte

85 8 Jan 20, 2018

ZODÍACO (2007) Nota: ⭐⭐⭐⭐⭐ Direção: David Fincher Gênero: Policial País: EUA Título original: Zodiac Sinopse: Um cartunista (Jake Gyllenhaal), um repórter investigativo (Robert Downey Jr.) e um policial (Mark Ruffalo) se vêem envolvidos no caso real de um serial killer que matou diversas pessoas na década de 1960 e enviou cartas para os jornais locais, desafiando a polícia e a mídia a captura-lo. Miniresenha: Lembro que na época da produção deste filme, ele estava sendo vendido como o retorno de David Fincher aos filmes de serial killers, após o sucesso de "Se7en". A comparação entre em dois filmes, porém, logo se provou equivocada, pois enquanto "Se7en" era um intrincado jogo de gato e rato, este "Zodíaco" apresenta uma proposta complemente diferente, optando por mostrar a obsessão daqueles envolvidos no caso - em especial o cartunista Robert Graysmith, autor do livro que deu origem ao filme -, a constante decepção por não capturar o assassino e a busca incessante por uma sensação de encerramento em meio a uma história que parece não ter fim. A longa duração do filme é necessária para que se desenvolva cada um dos personagens e a elegância com que Fincher conduz a narrativa é sempre um espetáculo à parte. É visível a preocupação visual do diretor ao compor cada cena, seja ela uma simples reunião editorial do jornal San Francisco Chronicle - onde se passa a maior parte da trama - ou uma cena de assassinato que pode, ou não, ter sido cometido pelo personagem-título - por isso a escolha acertada de sempre esconder seu rosto. Um filme excepcional, que fica ainda melhor na revisão. #Cinema #Filme #Filmes #Zodíaco #Zodiac #DavidFincher #JakeGyllenhaal #RobertDowneyJr #MarkRuffalo #Se7en #7Marte

86 0 Jan 18, 2018

SOMBRAS DO MAL (1950) ⭐⭐⭐⭐ Direção: Jules Dassin Gênero: Policial/Noir País: Inglaterra/EUA Título original: Night and the City Sinopse: Um malandro de rua tenta se aproveitar da situação e das pessoas que o cercam para se tornar um grande promotor de luta-livre na Londres da década de 1950. Miniresenha: O gênero noir, que floresceu nos anos 1940 e 50, caracterizou-se, entre outras coisas, por se relacionar com a situação polico/social que acontecia naquela época. Num período de grande desilusão, quando o mundo viu a verdadeira face do mal durante a guerra, a ideia de um grande e monolítico herói não tem mais espaço. Essa é uma época sombria, habitada por pessoas dúbias. O pouco conhecido "Sombras do Mal" reflete isso muito bem. O diretor Jules Dassin é hábil ao criar uma narrativa consisa, excluindo tudo aquilo que é desnecessário e mantendo apenas o essencial - é interessante perceber como todos os personagens e lugares apresentados no primeiro ato serão retomados ao final. Porém, o grande destaque é mesmo a atuação de Richard Widmark no papel do protagonista Harry Fabian. Visto sempre correndo de um lado para o outro, Widmark contagia o público com a sua empolgação, fazendo-nos torcer por ele, mesmo quando ele manipula e prejudica todos aos seu redor. E esse personagem odioso e ao mesmo tempo admirável é a essência de um bom noir. #Cinema #Filme #Noir #SombrasDoMal #NightAndTheCity #JulesDassin #RichardWidmark #7Marte #Clássicos #FilmesClássicos

30 0 Jan 17, 2018

O CÉU MANDOU ALGUÉM (1948) ⭐⭐⭐⭐ Direção: John Ford Gênero: Western País: EUA Título original: 3 Godfathers Sinopse: Três foragidos da justiça encontram uma diligência abandonada com uma mulher grávida dentro. Eles prometem para a mulher que vão cuidar da criança. Miniresenha: Iniciando o filme com sequências que remetem à sua extensa carreira no gênero Western - com direito a perseguições à cavalo e tiroteios -, o cineasta John Ford brinca com a expectativa do público ao fazer deste um drama religioso que tem oeste como pano de fundo. Aqui, é a natureza, e não o xerife que o persegue, que é a principal ameaça ao anti-herói vivido por John Wayne. E é a natureza que o faz deixar as armas na chão árido do deserto ao longo da sua jornada de sacrifício e redenção - e a fotografia em technicolor ajuda a dar um clima lúdico à produção. Pode decepcionar um pouco quem estiver esperando por um faroeste clássico, mas isso não tira o mérito o filme. #Cinema #Clássico #Filme #Western #Faroeste #JohnWayne #JohnFord #OCéuMandouAlguém #3Godfathers #7Marte

44 3 Jan 17, 2018

ALUCINAÇÕES DO PASSADO (1990) Nota: ⭐⭐⭐⭐⭐ Direção: Adrian Lyne Gênero: Terror País: EUA Título original: Jacob's Ladder Sinopse: Um veterano da guerra do Vietnã precisa lidar com o trauma da perda de um filho, com o fim do seu casamento, ao mesmo tempo em que é atormentado por lembranças da batalha e estranhas visões de seres demoníacos que habitam o seu mundo sombrio. Miniresenha: Recheado de referências bíblicas (o próprio título original é uma delas) e simbolismos, o filme apresenta um crítica ferrenha à guerra do Vietnã e ao exército americano, mostrando que o que espera o soldado que volta do combate é um mundo sombrio, sujo e cheio de criaturas horrendas (criaturas essas cujo design é inspirado na obra do fotógrafo Joel-Peter Witkin, do pintor H.R. Giger, entre outros). Acostumado com dramas intimistas, o diretor Adrian Lyne aposta numa narrativa intrincada e sensível, que envolve o espectador no drama do protagonista. O diretor enxugou os exageros do roteiro - que contava com diversas aparições de demônios com chifres e outras criaturas estranhas - e transformou a trama em um terror psicológico aqui, o que assusta é o que acontece na nossa mente. Provavelmente um dos melhores filmes americanos de terror da década de 1990, "Alucinações do Passado" é uma jóia rara que merece ser (re)descoberta. #Cinema #Filmes #Terror #FilmesDeTerror #AlucinaçõesDoPassado #JacobsLadder #JoelPeterWitkin #AdrianLyne #HRGiger #7Marte

65 2 Jan 15, 2018
IRFS.AZ © is created in 2017, our goal is to provide people with information from Instagram API, that includes photos, videos and other media information from Instagram.